Vereadores de Belo Horizonte tomam posse e Léo Burguês de Castro é reconduzido à Presidência da Câmara Municipal

O vereador Léo Burguês em solenidade de posse e eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Belo Horizonte

BELO HORIZONTE [ ABN NEWS ] — Foram eleitos nesta terça-feira, 1º de janeiro, os vereadores que vão compor a Mesa Diretora no biênio 2013-2014.

A maioria dos membros da Casa, ou seja, 21 vereadores, escolheram a “Chapa 1”, composta por Léo Burguês de Castro (PSDB), Wellington Magalhães (PTN), Leonardo Mattos (PV) e Vilmo Gomes (PT do B), para ocupar respectivamente presidência, 1º vice-presidência, a secretaria-geral e 1º secretaria. Esta foi a primeira vez, desde 1983, que um vereador foi eleito para presidir a Casa por mais de um biênio. Já os cargos de 2º vice-presidente e de 2º secretário serão ocupados pelos vereadores novatos Orlei (PT do B) e Veré da Farmácia (PT do B), candidatos eleitos pela “Chapa 4”.

Também concorreu a cargos da Mesa Diretora a “Chapa 3”, composta pelo candidato a presidente Henrique Braga (PSDB) e pelos vereadores Daniel Nepomuceno (PSB) e Gilson Reis (PC do B). Ao todo 14 vereadores votaram nesta chapa. Houve, ainda, quatro abstenções e dois ausentes. A Chapa 2 desistiu da disputa.

Balanço do último mandato

Ao fazer uma análise da última legislatura, durante entrevista coletiva, o presidente reconduzido Léo Burguês de Castro (PSDB) afirmou que nunca a Câmara contou com tamanha participação popular. Entre os feitos, o presidente destacou que todos os projetos necessários para a realização da Copa do Mundo em Belo Horizonte foram aprovados. Também foram citados os avanços obtidos com a aprovação da Lei da Ficha Limpa e com o fim do voto secreto na Casa.

Ainda de acordo com ele, o índice de renovação da Câmara no pleito de 2012 foi inferior ao de todas as outras capitais do Sudeste. Com relação aos subsídios dos parlamentares, Léo Burguês afirmou que os vereadores de Belo Horizonte são os que contam com os menores valores entre todas as capitais do país, havendo, ainda, mais de 30 cidades mineiras onde os legisladores municipais recebem proventos maiores.

Perspectivas para 2013-2016

Segundo Léo Burguês, um dos desafios da Câmara na próxima legislatura é buscar mecanismos legais que permitam à iniciativa privada ampliar o número de leitos hospitalares, suprindo o déficit atualmente existente na capital. Ele também salientou que a interação entre a sociedade e o Legislativo municipal deve aumentar ainda mais nos próximos dois anos, por meio do programa Câmara Itinerante, que vai levar os trabalhos da Casa para perto do cidadão.

Leo Burguês também destacou que a grande maioria de seus apoiadores é da base de sustentação do prefeito. Ainda sobre a relação com o Chefe do Executivo, o presidente lembrou que “o prefeito, de forma republicana, deixou que os vereadores votassem de maneira independente”.

Já o vereador Leonardo Mattos, eleito secretário-geral para o biênio 2013-2014, salientou que “austeridade” é a palavra que comporá o núcleo do compromisso da nova Mesa Diretora. O parlamentar também lembrou em sua fala o político e filósofo iluminista do século XVIII, Barão de Montesquieu, ao defender a independência do Legislativo frente aos demais Poderes. Montesquieu promovia ideais revolucionários para sua época, criticando o absolutismo e salientando a importância da repartição do governo em três esferas (Legislativo, Executivo e Judiciário), de maneira a garantir um governo democrático.

Read more Vereadores de Belo Horizonte tomam posse e Léo Burguês de Castro é reconduzido à Presidência da Câmara Municipal

Deixe uma resposta